09/11/2015 às 13h58min - Atualizada em 09/11/2015 às 13h58min

Família ainda espera por julgamento há (01) ano de um crime bárbaro

Há um ano, em 22 de novembro 2014, foi preso Gleydson Morgray, preso, réu confesso de matar e esquartejar a vitima Thomas Sanches, de 30 anos. No entanto, passado um ano desde a prisão, Gledson ainda não foi julgado pelo crime.

Querendo justiça, a família e amigos  mobiliza-se na tentativa de sensibilizar as autoridades para que marquem logo o julgamento.  Os amigos da vítima, contou em entrevista aoJNC, que com a prisão do Gleydson, toda a família imaginou que ele seria julgado logo em seguida. “Era só isso que estava faltando. As investigações já tinham apurado tudo. E ele era réu confesso”, indigna-se a mãe de Thomas

 “Todos nós queremos justiça. Não é só a família, não. Isso virou um caso muito maior. Todos nos questionam, nos perguntam.  Os amigos, os muitos colegas de trabalho, todos eles querem saber e querem justiça também. A falta de punição vai criando uma angústia muito grande”, desabafa Joelma que era amiga de Thomas.
O crime

O assassinato de Thomas, chocou Cananéia, ocorreu em 22 de novembro de 2014 e ganhou repercussão nacional após exibição nos Jornais e telejornais do pais, e internacionalmente.
 
A versão de Gleydson para a polícia diz que Thomas teria tentado uma aproximação dele. Por conta disso, os dois discutiram e o acusado empurrou a vítima, que se desequilibrou, bateu a cabeça e morreu.
Desesperado ao perceber a morte de Thomas, Gleydson teria tentado ocultar o corpo da vítima. A polícia acredita que ele teria tentado esquartejar o corpo para colocar em uma mala e jogá-lo no mar. No entanto, Gledson foi localizado e preso antes de dar fim ao cadáver.
Suspeito e vítima tiraram uma foto juntos momentos antes de se afastarem do grupo de amigos os quais estavam em um estabelecimento. Os dois avisaram que não voltariam e sumiram. A imagem foi registrada na madrugada de sexta-feira (21), última vez que Thomas Sanches, de 30 anos, foi visto. 
O corpo da vítima foi encontrado esquartejado no sábado (22), em frente a um hotel da cidade na avenida independência.
Familiares e amigos do Thomas Sanches, vão realizar uma manifestação no domingo (22/11) pelas ruas de Cananéia, para cobrar justiça pelo crime cometido e sem julgamento. O criminoso pode sair da cadeia, a lei diz que ninguém pode ficar preso por mais de dois anos sem julgamento.
Durante a caminhada, amigos de Thomas vão vestir uma camisa em homenagem e realizaram um ato simbólico. Os Amigos vão se unir em um grande círculo e gritar a frase “um por todos e todos pelo Thomas ”, durante a manifestação.

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp