26/11/2015 às 22h04min - Atualizada em 26/11/2015 às 22h04min

Lixo e entulhos: Problemas de todos em Cananeia

Despejo irregular pode ser visto em diversos bairros da cidade, até quando?

 

 

 

 

 

 

Esta semana, o despejo de um vaso sanitário na esquina da Rua Antônio Paulino de Almeida com a Bento Colaço, (da creche)  chamou a atenção para um problema antigo em nossa cidade: O despejo irregular de entulhos. Após uma publicação feita no JNC, o material não foi retirado, mas mostra que o descarte de entulhos e restos de obras continuam a serem jogados, sem obedecer às leis ambientais. Não é só no Acaraú que a situação acontece, estivemos nos bairros da Carijó, Rocio, estrada da quarentenária, rodovia Jose Herculano Rosa (estrada da Ponte), retiro das caravelas, para mostrar que é fundamental que as pessoas tenham a consciência de que os problemas relativos ao lixo são de responsabilidade coletiva.

 

Existe um trecho da estrada da balsa que as pessoas devem conhecer. Ele liga o bairro do Porto Cubatão e Itapitangui (continente). Mesmo com pouca movimentação, o local é um dos mais escolhidos pelos “espertinhos” para o descarte irregular de material de obras e até mesmo de móveis. A via é asfaltada, tem iluminação pública precária e a sujeira ocasionada pelos entulhos, deixam a via com aspecto de abandono e conotam certa insegurança. Cerâmicas, madeira, sacolas de lixo com restos de obras se misturam ao matagal e chegam a provocar mal cheiro.

Outro local onde o problema é recorrente é na estrada da Ponte. O espaço, próximo a chegada na Cidade de Cananéia já é conhecido por essa situação. Muitos moradores, mal-educados, diga-se de passagem, fazem do trecho uma grande lixeira a céu aberto, jogando os mais diversos tipos de materiais. São restos de aparelhos eletrônicos inservíveis, pisos de cerâmica, sofás, terra, sacolas plásticas, telhas e até mesmo uma televisão, tudo em mesmo lugar.

 

Quem vive nos Bairros atenta para o perigo dessa prática e diz que não adianta o poder público fazer a retirada do material se a população não se conscientizar de jogar esses entulhos em local adequado. “As pessoas hoje em dia se aproveitam, inclusive os próprios moradores se aproveitam dessa situação, onde as pessoas querem dispensar seu lixo e precisa ser feito no bairro um trabalho de conscientização para os moradores, porque é o próprio morador que está jogando lixo na beirada da rua. Aí quem vem de fora acha que o lugar de jogar é esse e acabam jogando também, estamos com dificuldade de coleta de lixo na cidade, acho que deveria ser todo dia, mas eles passam três vezes na semana, mas não tem nada nesse sentido, nem de reciclagem, de caçamba de prefeitura e acaba ficando essa vergonha que está”, disse o pedreiro Antônio Pedroso

 

“Tem que ser feito um trabalho de conscientização com os moradores”, disse Antônio Pedroso.

No Centro da cidade, os moradores também passam diariamente por montes de restos de obra espalhados pelas calçadas. São partes de calçadas quebradas, entulhos de jardim. Alguns dos montes de lixo em sacos colocados em horas indevidas nas ruas, o que representa um grande perigo, já que se trata de um local arborizado.

No bairro Cabana “demos de cara” com esse problema. Um trecho que dá acesso ao Tananã está tomado por resíduos de obras e pneus. O própria Av. Tananã, inclusive, é reconhecido como um local usado para o descarte irregular de entulhos.

 

 

Prefeitura faz o trabalho de recolhimento

Muitas dessas pessoas que jogam esse material em locais inapropriados podem não saber, mas a prefeitura, através da Secretaria de Obras, disponibiliza um serviço de recolhimento desses entulhos para evitar que sejam jogados de maneira irregular em ruas ou matagais.

Recentemente conversamos com o Fiscal de Obras Adalberto. Ele falou sobre os locais onde a situação é mais crítica e a dificuldade de manter as vias públicas limpas devido à falta de consciência ambiental de uma parcela da população. “Temos caminhões e retroescavadeiras para fazer essa limpeza na área urbana, mas nosso maior problema é a falta de consciência de algumas pessoas, que abusam da boa vontade que temos para trabalhar. Há alguns pontos críticos, como dos bairros e lugar ermo com luz precária, onde as pessoas jogam muito material, resto de móveis, sofás, geladeiras velhas… É um problema muito grande para a gente, mas não precisaria ser assim. Basta ligar e passar o que a pessoa quer jogar fora, seja o sofá, entulho, que colocamos na programação para buscar. O que não pode é jogar lixo no rio, nas florestas ou na rua” disse, Adalberto. O agendamento da coleta de entulhos pode ser feito de segunda a sexta, das 12h às 17:30h, pelos telefones 38515100.

Além do serviço de retirada do material inservível depositado irregularmente em via pública, a Secretaria de Obras e Serviços Públicos está preparando uma ação em conjunto com a Secretaria Municipal de Segurança Pública para fiscalizar os locais onde a incidência do crime ambiental é grande, tendo como objetivo identificar e punir as pessoas que insistem na prática.

“ Mas até quando isso vai continuar? Pedimos a ajuda do povo para denunciar quando estivem jogando entulho todos os veículos que estiverem jogando entulho, mato, lixo… Assim, acredito que a coisa vai mudar, que vão acreditar que o serviço público funciona. Se é só tirar e não fizer acompanhamento, não vai funcionar. Hoje poderíamos ter 200 pessoas para fazer a limpeza que não daríamos conta”, diz Adalberto e também tem que mudar as leis municipal para dar poder para que os fiscais possam trabalhar nesse sentido. 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp