16/08/2016 às 22h17min - Atualizada em 16/08/2016 às 22h17min

Servidor formata notebook e é preso por apagar supostas provas de fraude

Luiz Fabiano e outros três servidores foram afastados após um pedido do MP. Investigações concluíram que há risco de destruição de provas e ele foi preso.

O ex-diretor de saúde de Cananéia, no Vale do Ribeira, foi preso após ter formatado um notebook que poderia conter dados importantes para investigações do Ministério Público e Poder Judiciário. Ele é investigado por ter participado de uma possível fraude em um concurso público que foi realizado e posteriormente cancelado por suspeita de tentar prejudicar a administração municipal.

Luiz Fabiano da Silva Pereira e outros três servidores, incluindo o chefe de gabinete, o diretor de compras e o responsável pelo processo licitatório foram afastados após um pedido do MP.

De acordo com o promotor de Justiça do Ministério Público em Cananéia Olavo Evangelista Pezzoti, três empresas participaram do processo licitatório, mas as concorrentes, porém, possuem os mesmos interesses, ou seja, o município não teria vantagem em escolher qualquer uma das empresas. O MP também teve acesso a interceptações telefônicas que indicaram a fraude no processo de licitação.

"O MP constatou que as empresas licitantes possuem a mesma frente de interesse. Depois que uma empresa foi escolhida, ela, inclusive, foi representada por um homem que havia apresentado proposta por outra empresa que participou da licitação", explicou o promotor Olavo Evangelista Pezzoti. Informações registradas no processo do Ministério Público afirmam que no dia 10 de agosto compareceram perante a Promotoria de Justiça de Cananéia, Osley Maia Tavares, atual Diretor Municipal de Saúde, e Fabiana dos Santos Guimarães Pontes, que ocupa o cargo de secretária de departamento.

Eles afirmam que um dia antes de ser afastado do cargo de Diretor Municipal de Saúde, Luiz Fabiano teria levado um notebook da prefeitura para sua casa. Um servidor público foi designado para ir até a residência do suspeito e recuperar o equipamento. Ao retornar à prefeitura, entretanto, foi constatado que o computador havia sido formatado e vários arquivos teriam sido completamente deletados no processo, sem chances de recuperação.

Após concluir que Luiz Fabiano reteve o notebook de maneira indevida durante o afastamento do cargo e apurar que existem indícios de que ele formatou o notebook com a intenção de apagar arquivos de interesse da Justiça, as investigações concluíram que há risco de destruição de provas e foi determinada a prisão do ex-diretor municipal de saúde.

O notebook foi apreendido e será entregue ao Instituto de Criminalística dos arquivos/dados para que profissionais tentem recuperar os arquivos que foram apagados por Luiz Fabiano.

texto: G1 foto: JNC


Link
Notícias Relacionadas »
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp